A futura parceria entre Boeing e Embraer marca um novo momento em um relacionamento de longa data

Compartilhe esse texto

A parceria que Boeing e Embraer estão buscando é a evolução natural de um relacionamento de longa data entre empresas que se conhecem muito bem. Há décadas, engenheiros de Boeing e Embraer trabalham juntos em projetos relevantes para a indústria aeroespacial.

Uma das colaborações que realizamos acontece no Centro de Pesquisas conjunto das empresas, em São José dos Campos (SP), focado no desenvolvimento de tecnologias para preencher lacunas na criação de uma indústria sustentável de biocombustíveis para a aviação no país, como produção de matérias-primas, análises técnico-econômicas, estudos de viabilidade econômica e tecnologias de processamento.  A iniciativa está alinhada às metas do setor para redução da pegada ambiental da aviação comercial. Os objetivos incluem o crescimento neutro em carbono a partir de 2020 e uma redução de 50 por cento nas emissões de carbono em 2050, com base nos níveis de 2005.

Nossos engenheiros também criaram juntos a Ferramenta de Apoio à Consciência Situacional para Pousos, que permite que os pilotos planejem a aterrissagem com antecedência, simulando as condições reais da pista no momento do pouso e adicionando mais previsibilidade a um dos momentos mais importantes do voo. A colaboração é fundamental para ajudar a minimizar saídas de pistas tornando o ambiente operacional das aeronaves mais seguro.

Voando rumo ao futuro

Como líderes do setor, Boeing e Embraer têm uma oportunidade única de investir em testes e em tecnologias que estimulem o desenvolvimento da aviação global de modo equilibrado e sustentável e que paralelamente agreguem valor para nossos clientes em todo o mundo.

Neste contexto, nossas empresas analisam novas tecnologias para as próximas gerações de aeronaves por meio do programa EcoDemonstrador, que visa examinar e acelerar o desenvolvimento de tecnologias aplicadas à aviação comercial. O programa foi lançado em 2011 pela Boeing e em 2016 foi executado pela primeira vez em parceria com outra fabricante e fora do território norte-americano. Os voos foram realizados em uma aeronave Embraer 170 e testaram a utilização de biocombustíveis, tecnologias aplicadas ao sistema de captura de dados das aeronaves e à operação dos slats, além de uma pintura que reduz o acúmulo de gelo na parte externa da fuselagem.

Em 2018, realizamos uma nova rodada conjunta de testes, desta vez dentro de um Boeing 777. A meta é que algumas das inovações integrem projetos de aeronaves atualmente em desenvolvimento, como o Boeing 777X, ou em atualizações de modelos lançados recentemente, como o 737 MAX e o 787 Dreamliner, da Boeing, e o E2, da Embraer.

A partir dos estudos em andamento e da atuação conjunta no Centro de Pesquisas de São José dos Campos, as fabricantes almejam estimular o desenvolvimento de um polo de inovação na cidade do interior de São Paulo, servindo como um catalisador de investimentos para a indústria aeronáutica brasileira e global.

Boeing e Embraer também são parceiras na comercialização de produtos para a área de defesa e segurança. Em 2013, firmamos um acordo para promover e vender o KC-390, aeronave multimissão da Embraer que estabelece novos padrões de desempenho e produtividade em sua categoria, com o menor custo do ciclo de vida do mercado. A colaboração foi ampliada em 2016 e passou a englobar tanto as vendas quanto o suporte do KC-390.